sábado, 14 de novembro de 2009

Fugaz

Ah, como essa vida é fugaz.

Sinto como se estivesse tentando segurar a areia do tempo entre minhas mãos, mas ela não cessa de escorrer.

Eu aperto com muita força, tentando segurar, pois amo essa vida.

Mas tenho muita paz em saber que ela apenas está passando de minhas mãos para a de meu Pai. E dali nunca mais sairá.

Nem eu.

2 comentários:

Wagner Moura disse...

Nossa vida é um instante, diria Santa Terezinha. Bonito o poema. Abraço.

luiza disse...

Pense que a cada dia você está cada vez mais perto da verdadeira felicidade. As alegrias e contentamentos que aqui temos não passam de um espelho do que nos espera =)