terça-feira, 1 de setembro de 2009

3ª Marcha da Cidadania pela Vida

Ocorreu em Brasília, no último domingo, 30 de agosto, a 3ª Marcha da Cidadania pela Vida. O evento foi um grande sucesso, e contou com a participação da cantora Elba Ramalho, que realizou uma apresentação musical. Abaixo, segue um vídeo sobre a marcha, no qual aprecem, aliás, vários grandes amigos meus:



Há que se destacar o fato de que o Ministério da Cultura havia bloqueado o financiamento dado para a Marcha. Haviam sido liberados pouco mais de 100 mil reais. Curioso é que para promover campanhas abortistas, como o escandaloso vídeo da Fiocruz, o governo solta a verba sem problemas. Sobre esse assunto, destaco o que disse a cantora Elba Ramalho:

A cantora revelou ainda que o próprio ministro da Cultura, Juca Ferreira, telefonou para ela antes de cancelar a verba do evento, explicando que ele próprio é contra o aborto, mas recebeu orientação para não apoiar a manifestação. "Eu disse a ele que não concordava com essa atitude do governo e que isso era censura à livre manifestação". E concluiu: "Infelizmente, estamos neste fim dos tempos percebendo que seremos cada vez mais perseguidos por nossas posições que defendem os valores. O mundo está cada vez mais dominado por forças estranhas".

Para quem for burro o suficiente de achar que o governo não é amplamente favorável ao aborto, eis a resposta definitiva.

Soube que houve abortistas na Marcha, e um amigo meu interpelou uma delas. Vejam o relato dele:

Tentei argumentar com uma das abortistas presentes. Ela estava com um cartaz dizendo que o aborto era um direito da mulher. Questionei se a mulher estivesse grávida de outra mulher, essa não teria também direito de nascer? A resposta que tive: ela me deu um dedo me mandando para aquele lugar! Daí podemos ver a abertura ao diálogo que aquelas pobres moças estavam dispostas.

Isso é o movimento abortista: a coisa mais nojenta de todos os tempos. Ok, talvez empate com o nazismo e o comunismo. Mas eu realmente fico em dúvida de quem está mais próximo do inferno: se o Partido Comunista da China ou a Planned Parenthood.

Também recomendo fortemente a leitura deste artigo da Dra. Lenise Garcia, presidente do movimento Brasil Sem Aborto.

Por fim, um recado aos imbecis do Minstério da Cultura. Eles disseram que a requisição do dinheiro omitiu informações, e por isso foi cancelado o apoio. Reparem que a Marcha é em defesa da vida; ser contra o aborto é defender a vida. É evidente o viés ideológico do MinC: não consideram o embrião e o feto como vida humana, e por isso uma marcha contra o aborto, segundo a lógica deles, nada tem com defesa da vida humana.

É para ter nojo ou não é?

5 comentários:

Adoro Te Devote disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Felipe disse...

Rodolfo,

E o mais irônico é que, no fundo, defendemos o que está na lei: o aborto é crime! Portanto, a Marcha foi um evento cultural totalmente legal do ponto de vista jurídico, pois defendíamos o que está em nosso ordenamento: a defesa da vida como cláusula pétrea em nossa Constituição Federal.

Razão para bloquear o repasse de verba para a Marcha não existe. Seja o que disserem, não passa de ideologismo barato de gente que tenta passar por cima da vontade do brasileiro e aprovar a matança de indefesos no ventre da mãe.

Abraço,
João Felipe

Eduardo Araújo disse...

Caríssimo Rodolfo,

Faço minhas as palavras do João Felipe, lembrando, em especial, que, sim, aborto é crime e não direito como já aventado pelas feministas e outros abortistas.

No mais, o corte da verba destinada à Marcha é realmente uma hipocrisia de doer, embora não supreendenda em se tratando dos cínicos abortistas.

Por outro lado, convenhamos: estava surpreso, isto sim, com o suporte financeiro proveniente de um governo franca e agressivamente favorável ao aborto. Cheguei a perguntar-me com meus botões: será que eles estão confundindo Marcha pela Vida com Marcha pela Vida das "pobres" mulheres que anseiam pelo direito de assassinar covardemente seres humanos não nascidos?


Nesse sentido, o corte, mesmo "a posteriori", está de acordo com a agenda anti-humana desse governo diabólico.

Abraços
Eduardo

Carlos disse...

Concordo com João Felipe e Eduardo.
Também fiquei espantado quando soube que esse governo havia liberado verbas para a marcha. Mas durou pouco. Foi só eles descobrirem que era para combater o aborto - que é crime, como bem lembraram - que o repasse foi cortado. Mas se fosse uma marcha pró-aborto (que é crime) o próprio governo bancaria todas as despesas. Ou seja, no Brasil o governo financia o crime e combate a legalidade.
Isso é tática revolucionária brutal. Fazem uma inversão de valores tão absurda que paralisa a capacidade de raciocínio das pessoas, que acabam ficando bestializadas e incapazes de reagir.
Por isso é bom que nós, que ainda pensamos, gritemos bem alto, protestemos e procuremos esclarecer os mais simples.
Convido todos a escreverem mensagens de repúdio ao Ministério da Cultura. Porque no fundo, não duvidem, eles morrem de medo do povo. Nada os assusta mais que um povo esclarecido, exigente e militante, que não se deixa fazer de massa de manobra. Mostremos para eles, então, que a melhor parte do povo - aquela que pensa - odeia o governo que tem.
Um abraço a todos.
Carlos.

Lienne Werneck Richa disse...

Ótima postagem.

Não nos vencerão sem luta!

:)