domingo, 31 de maio de 2009

Tecnologia, relacionamentos e distância

No documentário que eu postei ali embaixo, "Criança, a alma do negócio", um dos momentos que mais chamou a atenção foi a idéia do psicólogo da USP de que o telefone celular, que deveria aproximar as pessoas, as distancia. Essa idéia é interessante, e penso que pode ser expandida para muitos aspectos da revolução das comunicações que vivemos, especialmente com o advento da internet nas últimas décadas.

É fato que, com a internet, posso conhecer pessoas do mundo todo. E conheço mesmo. Alguns de meus melhores amigos eu conheci, primeiramente, pela internet. As possibilidades são fantásticas. Tenho contato fácil com meu primo que mora na Itália; conheço inúmeras pessoas com os mesmos interesses que eu. Aliás, não fosse a internet, não teria com quem conversar sobre Rock Progressivo. É um novo mundo, que merece ser desbravado. Há até quem tenha encontrado a esposa pela internet. Eu não considero isso ruim, muito pelo contrário.

Ocorre que um relacionamento humano 'virtual' é, bem, digamos, 'virtual'. Muitos aspectos da vida não são abarcados na internet. Quando eu vejo um amigo, e ele está triste, imediatamente percebo. A expressão da pessoa demonstra isso, claramente. Mas, para perceber isso, é preciso um conhecimento profundo do outro, e a internet não o permite nesse grau. As expressões, o modo como a pessoa reage, sua gesticulação, tudo isso diz muito sobre nós. E isso só pode ser alcançado através de um relacionamento constante, profundo e sincero. O contato humano é algo maravilhoso e insubstituível. Pergunte para sua mãe ou namorada(o) se ela trocaria um abraço por uma simples imagem de webcam. A resposta é óbvia.

Isso não exclui o valor de sites de relacionamentos ou mensageiros instantâneos. Mas é preciso ficar claro que eles jamais substituirão a convivência das pessoas.

3 comentários:

Andrea Patricia disse...

Olha Rodolfo, é interessante mesmo essa coisa de relacionamentosdo mundo virtual. Eu conheci meu marido pela internet :)

E vejo que pode existir tanto a superficialidade nas relações quanto um aprofundamento, mas são muitas as variáveis. O importante é pensar no assunto mesmo e lutar para que as relações tornem-se mais calorosas, digamos assim, e mais verdadeiras.

O contato humano é maravilhoso mesmo! Por isso que fico sempre com vontade de conhecer pessoas legais pessoalmente.

Espero que possamos nos encontrar na "vida real", Rodolfo!

Fica com Deus!

Julie Maria disse...

Rodolfo sobre o aspecto negativo da ida virtual, escrevi isso aqui

http://sexualidadehumana.wordpress.com/consultoria-virtual/vida-virtual-nao-e-vida-real/

E tambem como a Patricia espero encontrar voce na vida real ... tenho o desejo de fazer um Encontro de Blogueiros Catolicos, que tal??

PAX

JM

Luíza Helena disse...

Tá bom, eu vou aí te visitar! hehehe
Tem razão. A tecnologia afasta as pessoas... Quando o celular não era muito difundido, as pessoas marcavam os compromissos e sempre se encontravam... hoje em dia se não houver um celular, as pessoas dificilmente conseguem se encontrar, mesmo estando no mesmo lugar. Sem contar que a impaciência aumenta exponencialmente. A tecnologia facilita algumas coisas, mas dificulta outras...