quarta-feira, 20 de maio de 2009

Holocausto: lamentar nunca é demais

A visita do Papa Bento XVI à Israel foi um evento certamente marcante. O Pontífice não teve respeito humano algum ao criticar, por exemplo, o muro separando israelenses e palestinos. As palavras foram todas muito sensatas e diretas, sem nenhum tom ofensivo. Mas há quem tenha se sentido ofendido mesmo assim.

Um ou outro líder judeu considerou que o Papa não lamentou o suficiente pelo holocausto. Como não? Bento XVI já esteve até em Auschwitz. E o que dizer da recente reprimenda a D. Williamson? A impressão que fica é que, para alguns, por mais que se deplore o Holocausto, nunca é suficiente. Porque, se o que o Papa fez não foi suficiente, eu não consigo imaginar o que seja.


2 comentários:

Andrea Patricia disse...

Eles sempre tem que falar mal do Papa, da Igreja. Não tem jeito.

Rodrigo disse...

Nunca é demais, né, Rodolfo...tem sempre gente insatisfeita...Fazer o que?
Abraço