sábado, 14 de março de 2009

O desabafo do Papa

O Papa publicou, essa semana, uma emocionante carta dirigida aos bispos de todo o mundo. A motivação dessa missiva foi o recente massacre da opinião pública em virtude do levantamento das excomunhões dos quatro bispos da FSSPX. O fato em si, que visa cicatrizar uma dolorosa ferida na Igreja, foi ofuscado por uma polêmica da mídia em torno de posições lamentáveis de D. Williamson. Já comentei sobre o caso aqui, mas o Papa foi mais adiante.

A mentalidade politicamente correta tene a abominar qualquer tipo de 'exclusão'. Isso fica evidente a partir do momento em que atentamos para o fato de que grupos considerados minorias oprimidas são tratados como intocáveis. Aí podemos contar indígenas, negros, homossexuais e qualquer outro grupo que possa ser enquadrado nesse contexto. Há até um lado bom nisso, que pode levar a superar injustiças sociais. Porém, ai daquele que ouse dizer, por exemplo, ser contra cotas raciais... já é logo chamado de racista, intolerante, obscurantista e tudo o mais.

Esse mesmo tratamento, porém, não é dada a muitos grupos. E aí se inclui todos os católicos. As opiniões divergentes são todas ouvidas e respetiadas, é claro. As dos católicos não. "Afinal, onde já se viu apoiar esses caras obscurantistas e medievais, que ficam obedecendo um cara vestido de branco que fica em Roma? Daremos nossas vidas pelas baianas do acarajé. Quanto aos católicos, esses não podem nem dar a sua opinião".

E o Papa arremata:

Às vezes tem-se a impressão de que a nossa sociedade precisa ter pelo menos um grupo para o qual não se pode demonstrar tolerância; o qual se possa facilmente atacar e odiar. E caso alguém ouse abordá-lo - neste caso, o papa - ele também perde qualquer direito à tolerância; ele também pode ser tratado odiosamente, sem temor ou moderação.

Santa hipocrisia desse pessoal, não é mesmo? Fosse o Dalai Lama, duvido que alguém criticaria!

Aliás, eu nunca havia lido um desabafo de um Papa em púiblico... para quem dizia que Ratzinger era um teólogo frio, sem carisma e outros blás blás blás, eis uma boa resposta.

Um comentário:

Emanuel Jr. disse...

"Santa hipocrisia desse pessoal, não é mesmo? Fosse o Dalai Lama, duvido que alguém criticaria!"

O nosso consolo é que as portas do inferno não prevalecerão. Aliás como nunca prevaleceram. E continuemos levando pedras.