domingo, 1 de março de 2009

"God is great"

Assisti a pouco o filme "Slumdog Millionaire". Achei a história do filme muito dura. As pessoas sofrem bastante por aí. Mas Jamal, o personagem principal, é um baita sofredor. É um, sei lá, Jó indiano, com a diferença de que ele não perdeu tudo o que tinha: nunca teve praticamente nada e, do pouco que tinha, perdeu tudo. Mas a mensagem final é, no geral, de grande esperança. "God is great". Isso até me faz lembrar de uma música da Joan Osbourne, chamada "One of Us".

Mas todo aquele sofrimento retratado ali, com o qual nos deparamos de uma forma ou de outra todos os dias, é intrigante. O ser humano possui uma tendência natural de fugir ao sofrimento. Um cara da minha idade, que não tenha nenhum problema razoável, tende a se preocupar apenas com o que está próximo: ascenção financeira, um prazer fugaz, e depois, quem sabe, uma mulher e depois uma família. Uma grande dor - uma morte, uma doença, um sério revés profissional - pode jogar a pessoa no buraco ou elevá-la às alturas. É paradoxal, mas é assim.

Talvez a pessoa consiga deixar de lado um pouco da frivolidade de boa parte do que possui na vida e, por ter perdido algo precioso, passe a perceber o real valor do que tem à volta. É duro explicar, talvez seja até pretensão. No filme, Jamal, quanto menos possuía, mais esperança tinha. Isso ele nunca perdeu. É que apenas sua fraqueza poderia retirá-la. Além do mais, sem esperança, ele não possuiria mais nada. No fundo, se a pessoa não se render às circunstâncias, pode passar por tudo. Vai sofrer, mas não será derrotado.

Que mal há no mundo do qual não possa ser extraído um bem? "God is great".

4 comentários:

Moisés disse...

Slumdog Millionaire é um filme fabuloso (até no sentido mais literal). Há uma mensgem de otimismo e de fé. Vendo o filme, pensei: "Que anjo da guarda esse cara tem!"

Grazi disse...

Olá Rodolfo,
Paz e bem!

já te "conheço" da comunidade católicos (pelos comentários sempre inteligentes e propícios) e fiquei muito contente com sua visita...me senti honrada!!! rsrssr

Gostei deste teu texto. Esses dias nosso Papa disse que "a ausência da esperança anula a caridade". O sofrimento é sempre terrível, mas de uma forma ou de outra, seja ele nosso ou de alguém próximo a quem amamos, ele se faz presente em nossas vidas - penso eu - pelo mistério da cruz que carregamos em nossa alma. Daí faz diferença abraça-lo como oportunidade de amadurecimento, de superação, de transfiguração, de proximidade de Deus...daí temos até coragem de abraço com esperança e amor...

um abraço fraterno,

gra

Marie Tourvel disse...

Quando assisti, pensei: é um filme para a gente nunca esquecer que tem que acreditar e seguir. :)

Beijos!

Vinícius disse...

Eu assisti ao filme hoje. Achei extremamente tocante. Bom, as maiores lições que tirei do filme foram a humildade e a sinceridade do Jamal. Não posso deixar de comentar que a dança no final fechou com chave de ouro. Abraços.